Portugueses, japoneses ou mexicanos: 23 menus para entrar no ano novo sem pôr os pés na cozinha – Observador

2021-12-31 15:40:33 By : Ms. Zoe Zhang

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

▲ Sente-se à mesa e não se preocupe com a escolha dos pratos, estes restaurantes têm um menu especial

▲ Sente-se à mesa e não se preocupe com a escolha dos pratos, estes restaurantes têm um menu especial

Da cozinha portuguesa à japonesa, passando pela mexicana ou italiana, restaurantes de norte a sul desenharam menus especiais para que possa entrar em 2022 de barriga cheia e sem pôr os pés na cozinha.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se não quer passar a última noite do ano de avental vestido, atrás do fogão, a pensar em quantidades ou empratamentos, saiba que estes restaurantes podem muito bem fazer esse trabalho por si. De norte a sul do país há menus especiais e compostos para fechar 2021 de barriga cheia e sem preocupações. Da cozinha tradicional portuguesa às novas criações de estrelas Michelin, dos clássicos japoneses aos pratos de inspiração italiana, de cartas mexicanas às opções para partilhar, o mais difícil vai ser mesmo escolher. Junte a família e os amigos, escolha uma morada no centro da cidade, perto do mar ou com vista para o rio, esqueça as calorias, dê um passo de dança e brinde ao futuro quando o relógio marcar a meia noite.

Esta pizzaria e steakhouse tem no forno a lenha, na garrafeira generosa e nos sofás compridos e confortáveis algumas das suas imagens de marca e na última noite do ano preparou um jantar pensado para partilhar com ingredientes capazes de agradar a quase todos os paladares. Nas entradas destacam-se o trio de bruchettas, a burrata com molho pesto, rúcula e tomate seco ou a sopa de abóbora com fatias de pancetta. Os pratos principais são compostos por linguini com cogumelos trufados, camarão tigre com salada de manga e pimentos vermelhos e wagyu – uma espécie de gado bovino — com polenta frita e legumes salteados. Tarte de caramelo salgado com crocante de amêndoa e groselhas faz a sobremesa e no que toca às bebidas saiba que o preço por pessoa inclui um welcome drink, vinho branco, tinto, cerveja, água, refrigerantes e café e, claro, o champanhe e as 12 passas para celebrar a meia noite. Conte ainda com uma banda e um Dj no espaço para animar as primeiras horas de 2022.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

▲ Para quem gosta de uma mesa farta e fotogénica, o Santo tem opções para carnívoros e adeptos da cozinha italiana

É na zona da Foz do Douro que pode muito bem virar o ano neste restaurante com influências dos quatro cantos do mundo. À chegada, peça uma kombucha aditivada com saké para acompanhar a entrada que inclui um mix de dumplings, gyozas, hakao e boazis. O primeiro prato é composto por massa casarecce fresca de algas, jus do mar, camarão tigre grelhado com manteiga de gengibre e yuzo, já o segundo conta com barriga de leitão confitada, puré de castanhas, chucrute – conserva de repolho fermentado — e mostarda. Na sobremesa irá reinar a rabanada com figo em calda e gelado de queijo de cabra, sendo que à meia noite não faltará o espumante para brindar as uvas passas para pedir os desejos a realizar no próximo ano. Se S. Pedro colaborar, não deixe de aproveitar a esplanada discreta n’O Travessa, cenário que garante boas fotografias para mais tarde recordar.

▲ Eis um menu oriental junto à Foz do Douro, onde os pratos são para partilhar e degustar com calma

Se é um fã dos restaurantes do chef Olivier, provavelmente já sabe que o japonês Yakuza raramente desilude e pode ser uma boa opção para dar as boas vindas ao novo ano com um par de pauzinhos na mão e num ambiente de luxo. No menu festivo constam verdadeiras pérolas como amêijoas, pata de caranguejo, uma seleção de sashimi, nigiri de lingueirão e crispy rice, nigiri de salmão com trufa fresca, gunkan trufado com ovo de codorniz confitado, gunkan com camarão doce, bacalhau negro do Alaska ou um prego sui generis, com direito caviar e flocos de ouro. Depois do mix de sobremesas, brinde ao futuro com uma taça de Perrier Jouet bem gelada.

▲ De pauzinhos na mão e num ambiente luxuoso, no Yakuza o sushi e o caviar estão garantidos

Depois de mudar ligeiramente a decoração do restaurante, o chef Pedro Braga idealizou um menu de réveillon com seis momentos, devidamente harmonizados com vinhos do Douro e de Melgaço. Nas entradas espere pelas ostras na brasa com pickles de aipo, farofa e algas e pela tartelete de queijo de cabra com beterraba assada. No rol de pratos principais, destacam-se o salmão curado com labneh, romã e folhas de mostarda, o cozido à portuguesa vegetal, o arroz de tomate com berbigão, ouriço, gamba rosa do Algarve, emulsão de ostra e caldo de frango assado ou a bochecha de boi em vinho tinto com puré de batata e trufa preta. Se ainda tiver espaço para os doces, delicie-se com um suspiro de coco com maracujá, lima e gelado de doce de leite com a tartelete de chocolate e pistachio. O vinho do Porto, o café, as uvas passas e o espumante estão assegurados.

▲ Pedro Braga fez uma vénia ao produto nacional em combinações improváveis e arrojadas na carta de reveillón

Se há casa veterana na cozinha tradicional portuguesa é o Solar Moinho de Vento, que não dispensa fechar o ano com alguns clássicos da nossa gastronomia. O jantar arranca com uma tábua de queijos nacionais de S. Jorge, Azeitão ou Seia, alcaparras temperadas, azeite, pão e broa. Sopa de peixe, filetes de polvo com arroz do mesmo e cabrito assando no forno são os momentos que se seguem, regados com vinhos verdes, tintos, cervejas, água ou refrigerantes. Para finalizar o repasto não faltarão as famosas rabanadas, o pudim de vinho do Porto ou o leite creme caseiro. As reservas devem ser feitas com pelo menos três dias de antecedência e o planeamento, acredite, vale a pena.

▲ Tradicional, familiar e acolhedor, assim é a sala a cozinha deste restaurante mítico do Porto

Conhecida por confecionar pratos sazonais, cheios de técnica e sabor, a chef francesa Aurora Goy promete um jantar de passagem de ano que reflita isso mesmo. Depois do espumante rosé de boas vindas ao Apego, aguarde pelo chou de beterraba com requeijão, o carapau com romã e natas fumadas ou a castanha com cogumelos silvestres e avelã. Nas sugestões principais, a chef escolheu a raia com couve flor, amêndoa e funcho e o frango do campo com aipo, trufa e mostarda, mas a gula também terá lugar neste menu, onde as sobremesas se farão notar com um nougat glacé com nozes, laranja, pólen e azeite e o chocolate com marmelo e trigo sarraceno. O café de especialidade garante que irá ficar bem acordado até soarem as doze badaladas.

▲ Auroa Goy apostou na sazonalidade e na técnica para idealizar um menu repleto de cor e equilibrios de sabor

Em setembro, o Semea by Euskalduna passou de um pequeno espaço na baixa, na rua das Flores, para um edifício com uma vista desafogada sobre o rio Douro. A mudança fez com que o restaurante se aventurasse na cozinha de fogo, com direito a um forno a lenha, mas continuassem a prevalecer os pratos para partilhar à mesa. O chef Vasco Coelho Santos desenhou um menu para fechar o ano em bom, santola com ouriço do mar e caviar, foie com laranja e brioche ou a famosa tarte de chalota compõem as opções para as entradas. No peixe conte com salmonete com couve flor e gamba rosa e na carne prove o pombo com cogumelos e trufa, sendo que para rematar a refeição não faltará a combinação mais típica desta época festiva: rabanada com gelado de bolo rei. O menu será harmonizado com vinhos do Porto e outros néctares com selo nacional.

▲ O chef Vasco Coelho Santos desenhou um menu exclusivo para a última noite do ano

A comida mexicana é a sua praia e sempre que há uma festa pensa imediatamente nela? Então o Frida – Cocina Mestiza, com uma decoração e banda sonora a condizer, é a morada ideal para o seu último jantar de 2021. O menu de degustação inclui sopa azteca – uma sopa tipicamente mexicana feita de pedaços de tortilha de milho frito, mergulhados num caldo de tomate, alho e cebola – tacos, ceviches, pastéis tipicamente chilenos com chouriço, queijo e uma mistura de feijão ou as enchilladas agustinas – uma espécie de canelones com carne moída, regados com molho de romã. Nas sobremesas saltam à vista os churros fritos com caramelo e uma mistura de café do Guatemala, sendo que as 12 passas estão garantidas à meia noite, seja qual for a sua nacionalidade.

▲ No Frida, o sabor, os temperos e os empratamentos combinam com o México e garantem a festa pela noite fora

Não será todos os dias que temos a oportunidade de provar pratos com selo Michelin, muito menos com um menu exclusivo e propositadamente pensado para a ocasião. Na noite de passagem de ano, o chef Rui Paula, dono de duas estrelas, assina uma carta que é também uma vénia aos produtos nacionais, aos ingredientes da época e à arte de bem servir. No DOP, situado em plena baixa portuense, o jantar começa com salmão, pepino e maçã, um hambúrguer de perdiz e um carpaccio de lírio. Segue-se o lavagante com cação e cogumelos, o peixe galo com cevadinha de lingueirão e a vitela acompanhada com a planta tupinambor e alguns raspas de trufa preta. Na sobremesa o sabor predominante será o chocolate e, claro, o champanhe para brindar ao que há de vir.

▲ O chef Rui Paula propõe pratos confecionados com o melhor peixe e marisco da nossa costa

Este restaurante portuense fez do menu de réveillon uma espécie de best off do melhor que serviu em 2021, das melhores entradas aos pratos mais pedidos pelos clientes. O mix de entrada inclui um creme de abóbora com petazetas, bolas de Berlim com mousse de salmão, carpaccio de novilho com flor elétrica, tataki de peito de pato com puré de alperce e cebola caramelizada ou cogumelos recheados com queijo de cabra e compotas de pimentos. As combinações mais desejadas pelos clientes do Cruel foram o risotto de cogumelos e as bochechas de porco com batata a murro e salada, já no universo dos doces constam clássicos como o bolo de chocolate da casa, o toucinho do céu com petazetas ou o tiramisú em coma alcoólico. O menu inclui ainda harmonização vínica, água, café e espumante, sendo que tudo pode ser consumido no restaurante ou em casa, em formato take away e com instruções para finalizar alguns pratos quentes.

▲ No Cruel o menu de passagem de ano é uma compilação dos pratos mais pedidos em 2021

Contrariamente à celebração festiva a que estamos habituados, os japoneses costumam passar o réveillon de forma mais tranquila, familiar e espiritual, substituindo o tradicional fogo de artificio pelas 108 badaladas que ditam a chegada de um ano novo. O Ikeda já se tornou uma das referências gastronómicas japonesas na cidade e preparou uma experiência única à mesa com uma carta inspirada no oriente. O menu arranca com sopa de miso de amêijoa, tártaro de atum, shumai (bolinho tradicional chinês) de beringela e tofu e hotate batayaki (ostra vieira grelhada em manteiga). Para os amantes de sushi e companhia há furomaki, sashimis e nigirs de toro, lírio e salmão e gunganks à moda do chef, sendo que o linguine de carabineiro e yuzo será a opção ideal para os que preferem pratos mais compostos. O daifuko (bolinhas de mochi geralmente recheadas com algo doce, como pasta de feijão vermelho ou feijão azuqui) com morango faz a sobremesa, onde a flute de espumante e as 12 uvas passas não faltam à festa. O menu está também disponível em take away, mas as encomendas terão de ser feitas até dia 30 de dezembro.

▲ É um dos japoneses mais cobiçados da Invicta e a decoração combina com o Oriente

Quem passa pela porta deste restaurante dificilmente imagina o espaço com a decoração neoárabe, dos candeeiros ao mobiliário, no bar, no restaurante e no pátio interior. Da cozinha saem pratos de inspiração essencialmente mediterrânea, em empratamentos cuidados, e a carta de passagem de ano não será exceção. Ferrero rocher de foie gras com avelã, ravioli de cogumelos com camarão tigre, espargos e bisque de marisco, polvo confitado com puré de beringela, teriaky e crumble de cebola ou tornedó de lombo de novilho com um gratinado de funcho e trufa são algumas sugestões que poderão ser provadas e regadas com vinhos brancos e tintos da Casa Ferreirinha. O champanhe bruto será servido à meia noite e haverá bar aberto com direito a Dj até às 2h para começar o novo ano a dançar e, claro, de copo na mão.

▲ Pratos mediterrâneos cuidados e bem apresentados são um dos pontes fortes do Flow

Com um conceito de casual fine dining feito a partir de ingredientes portugueses e de pequenos produtores, o Almeja não quer deixar passar em branco o último jantar do ano e por isso o chef João Cura assinou um menu bem composto e equilibrado. Para começar a refeição conte com caldo de galinha e toucinho, orelha de porco com molho de manteiga, tartelette de berbigão com molho holandês ou kebab de cabrito com ervas e iogurte. Nos principais constam opções como tupinambo com cogumelos, cebola e trufa, enoki com alho negro e arroz, crustáceos com rigatoni, citronela e caril, peixe do dia com couve, avelã e uva, almôndega com ostra e batata ou vaca maturada com cantarelos, alho e cuscos. Cassis, iogurte, framboesas e hibiscos ou castanha, café, cacau e fava tonka lideram as sobremesas disponíveis.

▲ Delicada, sazonal e fotogénica, assim é a cozinha do chef João Cura

Este restaurante na zona da Boavista é dono de um ambiente informal e descontraído, onde reina a música de diferentes géneros e a cozinha inspirada nos cinco continentes. Nesta passagem de ano, o Praça garante a animação necessária com Dj e um menu conciso, assinado pelo chef João Freire Pimentel. Summer roll de salmão com molho holandês e abacate e camarão na champa com flan de alho francês compõem as entradas, já o polvo com tomate seco, tawny e foie gras e o bife alemão com batata dominam nos pratos principais. No final, lamba os dedos com fondants de nutella com gelado de avelã, café, frutos secos e, claro, espumante para brindar olhos nos olhos.

▲ Inspirada nos quatro cantos do mundo, a sugestão do Praça é que dobre o ano com tábuas para partilhar e muita música

Tem uma das melhores vistas sobre o Porto e, por isso, faça chuva ou faça frio é sempre um bom cenário para alimentar o Instagram em noite de festa. O menu é assinado pelo chef Ricardo Cardoso, que para começar escolheu camarão em pão coreano e molho agridoce, tártaro de atum em folha de arroz, mini quiche de cogumelos, ragoût de ananás e coentros, foie gras e figos. O típico creme de cenoura antecede os pratos principais, como o magret de pato com lagosta e boletos, o robalo com tagliatelle, lulas grelhadas, cevadotto de crustáceos da nossa costa e tinta de choco ou lombinho de vitela, rossini com cremoso de batata. Antes de pedir os 12 desejos da praxe, saiba que pode adoçar o palato com um sorbet de citrinos, hortelã e caviar de yuzo ou com várias texturas de chocolate. O menu inclui as bebidas e o café, sem esquecer o vinho do Porto e o espumante, e saiba que depois das 12 badaladas há um quarteto de jazz para embalar e inspirar o início de 2022.

▲ Com uma vista desafogada sobre o Douro e o melhor vinho do Porto à mesa, este restaurante promete ainda música ao vivo

Na cozinha do chef André Lança Cordeiro as referências da gastronomia francesa surgem no prato com simplicidade e minimalismo, fazendo jus a uma velha máxima incontornável: menos é mais. É baseado nesta premissa que este restaurante lisboeta idealizou um menu especial para o fim do ano, que pode ser degustado dentro ou fora de portas. Enquanto uns e outros não chegam, peça a tartelete de burrata com caviar, um lagostim com citrinos ou o foie gras com trufa e cogumelos. Quando todos estiverem finalmente sentado à mesa, perca-se com o linguado com gratinado de batata, alga nori e caviar ou com o clássico Lièvre à la royale — uma espécie de guisado com alho, chalotas e vinho tinto – com pêra confitada. A comunhão segura de baunilha e chocolate impera na sobremesa de um menu que tem também outras opções disponíveis para levar para casa. Ouriço e gambas da costa, arroz de forno com gamba rosa e pregado, e tartelete de limão são apenas alguns exemplos.

▲ Aqui a simplicidade e o minimalista reinam à mesa, mesmo na passagem do ano

Conhecidos pela sua decoração oriental e a sua carta recheada de pratos chineses, tailandeses e japoneses, os restaurantes Boa Bao, tanto no Porto como em Lisboa, preparam um menu cheio de sabores picantes e agridoces. Dim sum de foie gras e cogumelos shitake com molho feito à base de marisco, pimentos vermelhos, cebola e alho, ou pão bao aberto com molho chili crisp de porco compõem as entradas. Já o kai phad med-mamoung, um salteado tailandês de frango crocante, cebolas caramelizadas, pimentos, pitaia e cajus, numa mistura de pasta de chilli e molho de soja, são algumas das sugestões de pratos principais. Os japans mochi, um bolinho de gelado embrulhado numa massa de arroz glutinosos, servidos com diferentes  sabores como sementes de sésamo, chá verde, coco ou manga, fecham a refeição que é bem capaz de nos pôr a viajar sem sair do lugar.

▲ Comida japonesa, chinesa e tailandesa fazem a trilogia gastronómica perfeita nesta restaurante

É um dos bares gastronómicos mais badalados da capital, conta com uma carta generosa de cocktails vistosos, vinhos de todas as regiões, cervejas artesanais e petiscos para partilhar assinados pelo chef José Avillez, motivos mais do que válidos para dobrar o ano no Mini Bar. Há dois programas disponíveis, um entre as 19h e as 21h15 que inclui um jantar surpresa com oito momentos e música ao vivo, e um segundo, entre as 21h30 e as 2h, com um jantar também surpresa, que inclui dez momentos, música ao vivo e Dj. Seja qual for o escolhido, saiba o corneto temaki de tártaro de atum com soja picante, a moqueca de gambas e lima ou a pluma de porco preto fumada com salada de tomate e manjericão costuma ser algumas das estrelas da companhia.

▲ Petiscos para partilhar e uma carta generosa de cocktails originais e cervejas artesanais fazem do Mini Bar um poiso seguro

Para se despedir a preceito do ano que passou, o Dahlia, no Cais do Sodré, idealizou uma carta com propostas arrojadas e versáteis. Consomé Dahlia, ragù de camarão com bolinho de feijão, ravioli de batata doce fumada e chipotle, peixe da lota com arroz de cogumelos selvagens, borrego assado e bolo de figo com xarope de medronho são algumas sugestões que saltam mais à vista. Todos os pratos têm opção vegan e podem ser acompanhados por vinhos naturais ou cocktails originais, também disponíveis na carta de bebidas. Nas doze badaladas peça uma flute de espumante e brinde a 2022, saiba que o espaço é limitado a 29 pessoas, por isso reserve o seu lugar com antecedência.

▲ Da carne ao peixe, este menu é capaz de agradar a vários paladares e inclui opções vegan

Se é um amante de peixes e mariscos ou ainda não está farto de bacalhau do Natal, o restaurante Espada talvez seja uma boa morada para fechar 2021 com chave de ouro e sem espinhas. O menu especial de fim de ano arranca com ostras, tostada de ovo com codorniz, tacos de lavagante e mini ceviche com vários peixes brancos. Os pratos principais dividem-se entre a posta de atum braseado com legumes e o entrecôte com puré trufado e legumes asiáticos. Há um mix de sobremesas inspiradas nos quatro cantos do mundo para explorar e bebidas para brindar e hidratar que vão do vinho à cerveja, passando, claro, pelo espumante e o café.

▲ Se é fã de peixe, o Espada promete não desiludir com estes tacos de lavagante

Neste restaurante lisboeta, que renovou a sua segunda estrela Michelin recentemente, o chef Henrique Sá Pessoa volta a dar uma atenção redobrada a alguns produtos tipicamente portugueses em combinações mais ousadas e sazonais, num menu especial e comemorativo. Depois dos snacks e dos amuse-bouche, como tapioca de couve coração, crocante de porco piri piri ou sarrajão, caldo de alga, tomate seco e caviar, chegam à mesa uma sopa de cebola com tamboril e mexilhão e um carabineiro com brócolos e açorda. Os pratos principais que dominam a carta dividem-se entre o pregado com ingredientes da época como os boletos, a castanha e a trufa preta, e o lombo de borrego com nabo e chutney de ameixa. Já os doces, preparados pelo chef de pastelaria Mauricio Roesel, combinam pêra e gengibre, mas também abóbora, aveia e noz.

▲ Henrique Sá Pessoa promete surpreender no último jantar de 2021 com este carabineiro com bróculos e açorda

Liderada pelo chef Luís Gaspar, a Sala de Corte é a paragem obrigatória para os verdadeiros amantes de carne, com vários cortes e diferentes períodos de maturação. O menu que dá o mote a uma noite de festa oferece um welcome drink e dois snacks: croquete de cogumelos com molho romanesco de avelã e um tártaro de wagyu com trufa e caviar. Como entrada será servido um foie gras em pão brioche e maçã caramelizada com baunilha de Madagáscar, no que toca aos pratos principais, o chef apostou numa opção surf & turf combinando uma minhota galega, com 45 dias de maturação, e um carabineiro do Algarve, acompanhados com arroz de forno com enchidos de fumeiro e tubérculos assados na brasa. A trufa de chocolate negro 70% e o café juntam-se harmoniosamente na contagem decrescente para 2022, onde o espumante e uvas passadas serão distribuídas como manda a tradição.

▲ Carnes com vários cortes e diferentes períodos de maturação reinam neste restaurante

Se para si a passagem do ano rima com salsa, merengue, samba e afins, então a noite do Lat.a vai provavelmente encher-lhe as medidas. O restaurante abre portas pelas 19h e apresenta uma carta salpicada com clássicos latino-américos como pão de queijo, guacamole com totopos de milho, ceviche, empanadas de queijo e cebola, carne picante ou bobó de camarão, tacos de costela de boi, hambúrguer com feijão preto, cebola roxa e batatas fritas, moqueca de corvina ou picanha suculenta. Nos doces não faltam os brigadeiros gulosos ou os churros mergulhados em doce de leite e para brindar sem moderação conte com mojitos, caipirinhas, margaritas, gins e tequillas. A vontade de dançar estará assegurada com a famosa roda de samba, que na primeira noite de 2022 se prolongará até às 2h.

▲ Empanadas, pastéis, ceviches, tacos, picanha ou moqueca são alguns pratos que dominam neste jantar latino e com samba à mistura

Obrigado por assinar o jornalismo que faz a diferença.

Rua João Saraiva, nº 7 1700-248 Lisboa © 2021

Disponível gratuitamente para iPhone, iPad, Apple Watch e Android